Link para Escola Prepraratória

Psicólogos no labirinto das acusações

Um estudo sobre a falsa denúncia de abuso sexual de pai contra filho no contexto da separação conjugal.

Marcia Ferreira Amendola

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo compreender como vêm sendo desempenhadas as práticas dos psicólogos que atuam em instituições de referência para atendimentos em casos de alegação de abuso sexual contra a criança. Para este fim, foram analisadas as declarações de dez pais acusados de abusar sexualmente dos filhos, por meio de questionário enviado e recebido por correio eletrônico. Este material permitiu apreender como os pais acusados compreendem a alegação de abuso sexual imputada contra eles e como operam no sentido de provar a inocência. Também foi possível registrar-lhes as impressões, dúvidas e sentimentos eliciados pelas acusações, o que deu subsídio à realização de entrevistas presenciais com psicólogos em etapa posterior. Foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas com cinco psicólogas de cinco instituições diferentes. As informações prestadas permitiram analisar aspectos como a abordagem teórica e os métodos de avaliação psicológica em casos de alegações de abuso sexual contra criança, incluindo uma discussão acerca da ocorrência de falsas denúncias de abuso sexual. A partir dessas informações, foi possível concluir que tais práticas tendem a privilegiar a palavra da criança, esta última, vista, por muitos, como aquela que deverá anunciar e qualificar a denúncia. Nesses termos, os pais são silenciados, enquanto as crianças são colocadas no lugar de responsáveis por decidir questões jurídicas em nome de seus direitos.

Palavras-chave: violência sexual contra criança; falsa denúncia de abuso sexual; avaliação psicológica.

NOTA: Site criado e mantido pela Psicóloga Marcia Ferreira Amendola. CRP 05/24729. Rio de Janeiro, Brasil. Todos os direitos reservados conforme a legislação em vigor. Proibida a reprodução dos textos publicados nesta página sem permissão do autor. Os infratores estão sujeitos às penas da Lei nº 9.610/98. Citações de textos devem ser acompanhadas da indicação da fonte.

Conselho Regional de Psicologia Conselho Federal de Psicologia Arquivo PDF do Código de Ética Profissional do Psicólogo